SERRA DAS PARIDAS ⋆ Viagem com Beth

Bahia Chapada Diamantina Destinos Nacionais Nordeste

SERRA DAS PARIDAS

4 de setembro de 2020

LENÇÓIS – BA

A Serra das Paridas está contida numa formação geológica chamada Morro do Chapéu, e se localiza a 42 km da cidade de Lençóis.

Ademais, se destaca na Chapada Diamantina por ser um roteiro acessível para todas as idades e para quem tem dificuldade de locomoção, ou seja, é um roteiro para todos.

Além disso, as mangabas do sítio são muito famosas desde antes de o lugar se tornar um ponto turístico e histórico.

A Serra das Paridas tem centenas de mangabeiras, muito arborizado.

10 DICAS DE TRILHA PARA INICIANTES

A História na Serra das Paridas

O Complexo Arqueológico Serra das Paridas é formado pelo sítio Serra das Paridas I e outras três concentrações que ainda não são abertas à visitação.

Um complexo arqueológico é um conjunto de sítios arqueológicos próximos uns do outro, que talvez tenham histórias diferentes, mas que estão certamente relacionadas umas com as outras, e que podem ser tratadas como uma ampla ocupação pré-colonial.

Pode-se dizer que o lugar é bem recente, uma vez que foi redescoberto em 2005, depois de um grande incêndio que ocorreu naquela região e expôs diversas pedras com pinturas rupestres.

Acredita-se que o lugar foi escolhido como abrigo e proteção.

Dentro da Serra das Paridas I distinguem-se quatro afloramentos, com abrigos e paredões onde foram feitas as pinturas, destacando-se um paredão que pode ser visto a mais de 1 km de distância.

Os arqueólogos e historiadores começaram a estudar a Serra das Paridas I pelo afloramento 2, onde havia um abrigo que poderia alojar de 10 a 12 pessoas.

No local foram encontrados alguns objetos lascados simples, de 3 a 6 cm, que poderiam ser utilizados para raspar ou cortar.

Além disso, foi encontrada hematita, que é matéria prima para a confecção de pigmentos.

As pinturas e descobertas ainda estão sendo estudadas na Serra das Paridas.

Foram encontrados restos de fogueiras de cerca de 8 mil anos atrás, mas os arqueólogos não afirmam que as fogueiras e as pinturas sejam da mesma época.

E o nome Serra das Paridas foi colocado devido a pinturas rupestres que se assemelham a mulher parindo, dando à luz, onde você visivelmente por lá.

A visitação na Serra das Paridas

O lugar é um patrimônio histórico e genético dentro da Chapada Diamantina.

O complexo composto por 18 sítios arqueológicos, aliado ao aglomerado de mangabeiras dão vez a esse título.

A fazenda recebeu em 2008 pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Embrapa Amazônia Oriental e Universidade Federal do Pará para pesquisar as mangabeiras naturais que ocupam 4000 hectares dos 6000 do terreno.

Quem cuida do local é o Renato Hayne, que mantém preservado e faz alguns projetos, dentre eles, o sítio recebe escolas e grupos de pesquisas que agendam previamente, com entrada gratuita nestes casos.

Ele recebeu também a equipe da Rede Globo durante as gravações da novela Nos Tempos do Imperador.

Renato é o guia local, no qual explica sobre o sítio e história de como foi descoberto, sempre com bom humor.

Além disso, o Renato é muito bem-humorado, e tem um canal no Youtube, onde ele se identifica como “o guia mais fofinho da Chapada”.

Ele guia pessoas com limitações físicas, que estão acima do peso ou com mobilidade limitada, sendo conhecido também por esse tipo de turismo.

  • É cobrada uma taxa de R$ 25 para a visitação da Serra das Paridas, que auxilia na manutenção. O tempo de visitação é ilimitado.

No dia em que eu fui, tínhamos planejado fazer a Serra das Paridas e a Cachoeira do Mosquito no mesmo dia, que é bem próxima e é bem comum ter os dois no mesmo roteiro.

Mas o dia estava meio nublado, e acabou chovendo bastante.

Nesse dia eu acabei não conseguindo fazer as fotos, mas consegui ver as pinturas.

O banheiro é bem rústico, combinando com o lugar, e tem também uma lojinha para os que quiserem levar algo para se lembrar da visita, onde são vendidos produtos e pinturas.

Tem também vários painéis com frases para fotografia.

Assim, como no outro dia nós iríamos na cachoeira, eu voltei no sítio para fazer as fotos.

Ficamos curtindo, tomando aquele cafezinho regional e jogando conversa fora. Pouco mais tarde retornamos a Lençóis.

Como chegar

O acesso não é difícil, saindo de Lençóis são 42 km, sendo que 30 km são de estrada de chão, tem bastante sinalização.

Fomos eu, a Nina e o guia Pedro Paulo, que faz roteiros na região.

Como tem bastante sinalização até o complexo arqueológico, dá para ir sem guia, mas um carro é necessário, porém pode-se contratar um guia com carro ou ir com veiculo próprio.

——————————————————————————————————————–

Guia Pedro Paulo/ Lençóis BA

@pedropauloguia

Serra das paridas

Guia Renato Hayne

@dicaschapadadiamantina

VOLTA AO PARQUE

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG

Por: Beth Crisko

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *