PET FRIENDLY: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER ⋆ Viagem com Beth

Dicas

PET FRIENDLY – TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER

10 de janeiro de 2020

DICAS PET FRIENDLY
Pousada Vila Aconchego

Pet Friendly é um desses termos que costuma ser lido ou ouvido em vários lugares. Seja onde as pessoas frequentam, no feed das redes sociais, nos sites e blogs relacionados a animais… Mas você sabe o que significa? O que você precisa saber sobre pet friendly?

A expressão vem do inglês e significa, numa tradução livre, “amigo dos animais” ou “amigável aos animais”. Costuma se referir a ambientes onde os animais e os seus donos são bem-vindos, possuindo uma estrutura adequada para recebê-los e proporcionar algum conforto. 

Ou seja, ideia é que os bichinhos possam não apenas entrar no local. Mas que fiquem bem acomodados durante a estadia ali, e sejam atendidos em suas necessidades, sem causar problemas ao cliente ou ao proprietário do local.

Alguns dados relacionados ao Pet Friendly

Pousada Vila Aconchego

Há alguns anos atrás eram encontradas apenas clínicas veterinárias e pet shops que recebiam animais, além dos parques e outros espaços ao ar livre. Aos poucos, alguns estabelecimentos, como cafés e restaurantes fora do país começaram a permitir a entrada e posteriormente a estadia dos pets; adotando o nome de Pet Friendly. A moda se disseminou pelos outros países, sendo que a facilidade da comunicação na internet auxiliou. De tal forma que não poderia ser diferente, chegou também aqui no Brasil. 

Hoje já existem supermercados, shoppings, lojas, hotéis e pousadas e os mais variados tipos de estabelecimentos que aceitam os bichinhos. Sendo que as grandes cidades, como São Paulo, é onde mais se encontra locais assim. Há ainda os que são exclusivamente para os animais, como hotéis, creches, locais para a prática de exercício, carros particulares, entre outros.

Pet Friendly estatisticamente falando

Um senso realizado pelo IBGE informa que cerca de 34% da população brasileira tenha pelo menos um animal de estimação em casa. Além disso, uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Consumidor) aponta que 61% dos brasileiros veem seus pets como um membro da família. E também sentem falta de estabelecimentos que permitam a permanência do animal enquanto os donos estão no local.

Conforme o IBGE, em 2019 o Brasil ultrapassou os 210 milhões de habitantes. Assim sendo, fazendo um cálculo baseado nos dados anteriores, existem pelo menos 43,5 milhões de pessoas no país que possuem um ou mais animais de estimação e sentem que poderia haver mais lugares Pet Friendly. 

Pousada Vila Aconchego

Não é a toa que o Brasil é, atualmente, o terceiro maior mercado de produtos e serviços destinados aos animais de estimação; movimentando mais de R$ 25 bi de acordo com o SEBRAE. Impressionante, não? Quer aproveitar essa onda e se beneficiar desse mercado crescente? Existem alguns fatores que podem auxiliar a tornar o seu estabelecimento mais inclusivo para os animais.

O Que Configura um Estabelecimento Pet Friendly?

Agora que os dados foram mostrados e o termo foi explicado, a ideia de tornar o negócio Pet Friendly provavelmente deve parecer tentadora. Mas antes disso, é importante avaliar se adequar o espaço é viável. Para começar, existe uma lista de itens que precisam estar à disposição para uso do dono do animal, por exemplo:

  • Recipientes com água e comida para o pet;
  • Saquinhos higiênicos e lixeiras, os sacos podem ser dispostos como os que vemos nos mercados;
  • Panos de limpeza e produtos desinfetantes, para uso do dono do animal caso haja alguma necessidade;
  • Sinalizadores nas portas de vidro (importante não só para os pets, como para as crianças);
  • Coleiras para usar nos animais;
  • Caminhas ou almofadas para descanso.

Além dos itens citados, é importante ter em mente alguns cuidados essenciais. 

Vigilância Sanitária

A vigilância sanitária é o primeiro deles! Uma vez que estabelecimentos que lidam com a alimentação humana devem seguir algumas regras estabelecidas pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Nesse caso específico, as normas requerem que o local possua um ponto com água corrente e um profissional que faça a limpeza do lugar. Sendo que essa pessoa não pode se envolver em atividades que se relacionem ao alimento.

Conforto Para Todos

Existem divergências na estrutura corpórea de um animal e de um ser humano. De modo que é comum a existência de hábitos e odores diferentes, além da perda de pelo. Para evitar alguns desconfortos, é essencial dispor de uma área com boa circulação de ar. Assim ninguém se incomoda quando o pet se coçar, se sacudir ou sentir calor e colocar a língua para fora. 

Pousada Vila Aconchego

 

Para ambientes com ar-condicionado, o ideal é que haja uma área externa ao local que possa receber os clientes com os seus dogs. Ou se o ar-condicionado for dispensável, janelas grandes e que possam ficar abertas por bastante tempo fazem o serviço muito bem. O ar fresco e a iluminação natural tornam o ambiente mais confortável para todos.

Isolamento Acústico

Essa dica é mais para as pessoas que não estão acompanhadas por pets. Se essa for a maior parte da sua clientela, talvez seja necessário colocar isolamento acústico no ambiente destinado a receber os animais. Uma vez que os latidos e outros possíveis sons podem causar algum estranhamento.

Limpeza e Manutenção do Ambiente

Primeiramente, escolha materiais que facilitem a limpeza e a manutenção, lembrando-se de todos os aspectos de receber um bichinho no seu estabelecimento. Revestimentos como madeira, laminado, carpete ou tapetes são difíceis de limpar e acumulam pelos e poeira com alguma facilidade.

Desse modo, podendo ser substituído por pisos como porcelanato, cerâmica, cimento queimado, vinílico ou antiderrapantes; opções bonitas, fáceis de limpar e que pode entrar em contato com água. Além disso para os amantes de pisos de madeira, há opções dentre os materiais citados que são bastante parecidos visualmente, sem perder a praticidade.

Além do piso, é interessante proteger os pés das mesas e cadeiras para que eles não sejam danificados com possíveis mordidas, arranhões ou sujeira. Nessa hora você pode ser criativo! Podendo imitar, por exemplo, os postes de arranhar que são usados para gatos. Não se esqueça de que essas proteções também precisam ser fáceis de limpar.

Deixar as Regras Claras

Independente do tipo de estabelecimento Pet Friendly adotado, ou até se não for. É imprescindível estipular os limites do ambiente e deixar tudo às claras para não haver falhas na comunicação. 

Caso o local ainda não possa receber os animais, coloque placas que indiquem essa condição. Se os animais forem permitidos apenas em uma área específica ou em todo o ambiente; ou mesmo se o animal precisa usar coleira, focinheira ou outros acessórios, sinalize também. Ademais, outro ponto importante é deixar o cliente ciente do que ele e o pet têm a disposição ali – ele precisa saber o que pode usar! 

Essas informações podem ser incluídas no cardápio e nas informações nos sites e redes sociais do estabelecimento; podendo ser reforçadas com placas no local. Assim como podem ser informadas verbalmente quando o cliente entrar no espaço (até para os que não estão acompanhados de animais). E estar presente em outros meios utilizados para a promoção do lugar.

Cativando Dogs e Donos

Além desses cuidados, a criatividade é essencial! 

Quanto mais dedicado e configurado para as necessidades das pessoas e dos pets; mais tempo o dono de animais de estimação vai poder passar no lugar. Uma vez que não precisa se preocupar em voltar para casa por causa do bichinho.

pET FRIENDLY - NINA DOG NA BEIRA DA PISCINA

Algumas ideias adicionais que já existem em alguns lugares são bebedouros que mantém a água sempre em movimento e fresquinha para o pet; áreas verdes e parques, que mantem os bichinhos mais soltos e entretidos; ou até cardápios específicos para os animais, podendo ser subdividido de acordo com a espécie, porte e/ou tipo de alimentação. Assim, vale salientar que existem algumas frutas e legumes que podem ser consumidos pelos animais e fazem bem a eles. De modo que a alimentação disponível no estabelecimento pode ir além de oferecer ração e petiscos para o pet.

Atenção, tutores!

Por fim, o dono / papais, antes de começar a sair com o seu dog deve conhecê-lo. Pois alguns animais não são tão sociáveis e podem ficar ansiosos ou agressivos em ambientes em que ele entre em contato com outras pessoas e animais.

Então todo cuidado é pouco para preservar não só os outros, mas também evitar gerar traumas no seu pet. Além disso, talvez o estabelecimento não deixe claro se aceita ou não animais. Nesse caso, é importante entrar em contato e se informar das regras antes de aparecer lá com o seu bichinho!

Antes de viajar aprenda arrumar a mala do seu dog.

http://www.viagemcombeth.com/2018/12/preparando-a-mala-do-seu-pet-para-viagem/

AMIGO NÃO SE COMPRA, ADOTE UM!

Por: Beth Crisko

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *