Destinos Santa Catarina

TREKKING COMPLETO LAGOINHA DO LESTE/ FLORIANÓPOLIS SC

30 de maio de 2018

Sensação de liberdade (Pedra do Morro da Coroa)

A praia Lagoinha do Leste, localizada no sul de Florianópolis – SC é um ótimo lugar para uma bela aventura, garantida pela enorme biodiversidade e beleza natural.A praia recebe esse nome carinhoso por causa da Lagoa que se encontra no meio dela.

Existem duas trilhas para visitar Lagoinha: pela Praia Matadeiro e  Pântano do Sul. Para aproveitar ao máximo a experiência, fiz as duas trilhas. Fui fora de época de temporada, o que já é uma boa dica para quem não quer pegar filas nas trilhas e na Pedra da Coroa.

Comecei pela manhã acompanhada de um guia local credenciado (Giba), pela agência de Turismo Descubra Floripa pela praia Matadeiro e retornamos pela trilha do Pântano, já no finalzinho da tarde.

Como chegar:

Fomos de carro até a Praia de Armação, e estacionamos próximo a igreja Sant Anna.

Construída em 1772, a Igreja de Sant’Anna é uma das principais características da praia.  Era lá que os arpoadores e tripulantes das baleeiras se confessavam e ouviam a missa antes da pesca começar.

No local tem lugar para estacionamento e barzinhos caso queira comprar algum lanche para trilha. Como retornamos pelo Pântano do Sul, por ser distante e tarde, resolvemos voltar de Uber, mas você pode optar por ir de ônibus, tem paradas próximas tanto de um quanto de outro.

TRILHA DO MATADEIRO

Nina Dog  não foi comigo nessa aventura, mas está sempre em pensamentos!A trilha Praia Matadeiro é a mais difícil e demorada, com duração em média de 3 horas, porém, todo esforço é compensado por ser também a trilha com as paisagens mais bonitas.

Essa trilha tem um terreno mais aberto, permitindo a visão exuberante, mas, também, nos expondo ao sol (levar o protetor solar é sempre bom). A primeira parada já possui um visual incrível, caminhando cerca de 1 hora. As duas trilhas tem bicas de água potável, muito útil para encher as garrafinhas de água e seguir viagem!

Prepare suas pernas para subir o Morro da Pedra da Coroa. (risos)

MORRO DA PEDRA DA COROA

Visual de tirar o fôlego!

Logo no inicio da subida haviam algumas pessoas tentando tomar coragem pra subir o morro, eis que dois deles resolveram ir com a gente: Bruno (PR) e João Vitor (CE). Muitas risadas mesmo cansada tanta na subida e mais ainda na descida, e logo ficamos amigos. Para os curiosos de plantão não vou contar  quem foi que não subiu na pedra. (risos)

Os guerreiros: eu, Bruno (PR), Giba (Descubra Floripa) e João Vítor (CE)

A subida para chegar ao Morro da Coroa é bem íngreme, quase uma escalada, com uma descida bem pior (risos). Levamos cerca de 30 minutos para conseguir subir. E por mais difícil que tenha sido o trabalho foi todo compensado com o visual: ver a praia da Lagoinha inteira numa altitude de cerca de 200 metros.  Fiquei lá por algum tempo meditando e apreciando a paisagem, muitas fotos você pode conferir no álbum:

Com certeza é um visual de tirar o folego!

TRILHA PÂNTANO DO SUL

Voltando pela trilha do Pântano do Sul

A trilha Praia Pântano do Sul é a mais rápida, cerca de 1 hora, e um pouco mais íngreme, porém, sem a vista incrível, por ser toda cercada pela mata. Como demorei bastante em cima no Morro da Pedra da Coroa, a volta ficou um pouco tarde e pegamos metade da trilha já escurecendo.

Valeu a pena!

Mortos de fome e cansados, fomos  comer aquele rango esperto no Bar do Arantes que fica poucos metros do inicio da trilha do Pântano do Sul.

DICA DA BETH:

  • Leve lanche, pois fora de temporada não tem onde comprar.
  • Leve água (poderá encher as garrafinhas nas bicas).
  • Leve protetor solar.
  • Vá de tênis, de preferência adequado para trilha.


INDICAÇÃO:

BAR DO ARANTES

O local é conhecido por ter as paredes cheias de bilhetes deixados por clientes. Já foram contados mais de 70 mil bilhetes e um livro foi feito sobre o assunto: “Os Bilhetes do mundo nas paredes do Arantes”, de Paulo Alves.

A história do empreendimento começou em 1958 quando Arante Monteiro e sua esposa Osmarina Maria Monteiro, abriram uma pequena venda para pescadores, onde vendia-se verduras, frutas, ovos, peixes, bebidas, bolachas, fumo de corda e pratos de comida.

Era conhecido como a “Bodega do Arante” e se localizava na então ‘Rua de Cima’. Na década de 60, o Bar do Arante se transferiu para a beira da praia, onde hoje se encontra, com o nome de ‘Pesqueiro Velho’. A partir da década de 70, estudantes vindos principalmente de São Paulo e Rio Grande do Sul, passaram a frequentar a praia do Pântano do Sul, para seus acampamentos durante o verão.

Com o objetivo de avisar os amigos que estavam para chegar, os estudantes deixavam no bar bilhetes dizendo qual era sua localização. É um restaurante com comida típica e caseira, se tornou ponto turístico, e você não pode deixar de ir conhecer e deixar seu bilhetinho!

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

Por: Beth Crisko

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *